A Paisagem Paranaense & seus Pintores

 
 

Apresentação Artistas Participantes Obras


   

Abertura: 6 de junho de 2001 às 19h
Encerramento: 15 de julho de 2001.
Endereço: Alameda Dr. Muricy, 915.
Curitiba - Paraná.
Horário de visitação:
Terça a domingo das 10 às 20 horas.
Ingressos: R$ 3,00 e R$ 1,00 (estudantes) Terças-feiras entrada franca.
Maiores de 65 anos e
menores de 7 não pagam.
Alfredo Andersen
Sapeco da Erva-Mate,
s/d, óleo/tela
Acervo MAP
 


Apresentação

Inspirada no álbum " Pintores da Paisagem Paranaense" editado em 1982 pela então Secretaria da Cultura e do Esporte, sob a coordenação da pesquisadora Cassiana Lacerda, a exposição "A Paisagem Paranaense & seus Pintores" pode ser considerada uma seletiva amostragem da extensa série de obras produzidas por artistas de várias origens e tendências, que registraram " quatrocentos anos após as primeiras xilogravuras do livro de Hans Staden sobre o litoral do Estado " os mais belos aspectos paisagísticos do nosso território. Os artistas que participam da mostra tiveram, em sua grande maioria, marcante atuação até os anos 50, continuando, alguns deles a pintar paisagens nos anos subsequentes.

Assim, sem levar em conta o aspecto cronológico, a valiosa série de pinturas que a Casa Andrade Muricy cuidadosamente reuniu entremeando a paisagem rural com a urbana, é apresentada seguindo um caráter virtualmente geográfico: partindo do litoral, chega-se à Serra do Mar para alcançar, adiante, os dois planaltos, onde são mostradas imagens de Curitiba e dos Campos Gerais; mais além, os sertões e os rios das regiões sul, norte e oeste. Surge também aí, dentro desse diversificado panorama, a presença do colonizador que povoou extensas áreas do nosso território.

Reunindo esses trabalhos que permeiam qualidade pictórica com a visão de raras imagens da natureza tropical/subtropical, pretende-se mostrar ao público uma invejável coleção de pinturas altamente valorizadas que, em circunstâncias normais, dificilmente poderiam ser agrupadas, já que pertencem a colecionadores e a instituições públicas ou particulares.

A forte presença e a reconhecida importância da produção paisagística paranaense em um fértil período de nossa história da arte faz parte de um capítulo especial, que mereceria ser tratado com desejável profundidade pelos nossos estudiosos. Realmente, essa atraente modalidade temática, quer queiram, quer não, continua sendo o gênero pictórico de maior aceitação pelos novos e antigos colecionadores e, por conseguinte, pelo mercado de arte, situação essa que dificilmente será alcançada pelas tendências atuais, mesmo sendo estas, amplamente amparadas por conhecidos curadores e pela mídia. Isto talvez possa ser explicado pela natural e nostálgica necessidade que temos da aproximação com o meio físico, que guarda encantamentos e relações telúricas que jamais serão esquecidas com o correr do tempo.

Mesmo sendo escassos os registros panorâmicos de artistas itinerantes como Debret, Elliott, Keller, Pallière, Rumbelsperger, Lloyd, Calgan, Michaud, de formação européia, algumas de suas obras podem ser vistas nesta mostra. Todavia, a paisagem paranaense tem sido explorada mais objetivamente pelos pintores de um período da história de nossa arte classificado de estrutural ou de formação. Nesse contexto, que se situa entre o final do século XIX e meados do século XX, estrangeiros, como Alfredo Andersen, aqui radicados, produziram e transmitiram novos conhecimentos a seus alunos, que por sua vez procuraram repetir e renovar o trabalho de orientação às gerações seguintes. É essa uma fase de grande produtividade e de resultados estéticos auspiciosos para o paisagismo artístico paranaense. Aí encontramos, além de Andersen " esse notório mestre e impulsionador da arte em nossa terra " muitos de seus discípulos e amigos, que levaram a paisagem a um lugar de grande prestígio na época. A classe artística explora, então, com profundidade, a paisagem paranaense, tornando-se o pinheiro a árvore símbolo do Estado, cantado em prosa e verso, sendo mostrado na pintura, no desenho, na gravura e mesmo na escultura. O Paraná se revela pouco a pouco: as praias, as pequenas cidades do litoral, como Paranaguá, Antonina, Morretes, Guaratuba e mesmo a Serra do Mar são retratadas na obra de quase todos os artistas das primeiras décadas do século, entre eles De Bona e Freyesleben. Curitiba, e seu entorno, com a estrutura urbana em formação, os Campos Gerais com sua vegetação rasteira e as araucárias, os arenitos de Vila Velha, são traços singulares do nosso território que vão sendo registrados por Viaro, Boiger, Lechowski, Matter, Turin, Koch, Hannemann de Campos, Bakun e outros. O sertão, com seus rios e imponentes quedas d'água, desbravados por colonizadores luso-brasileiros e imigrantes europeus, são outras imagens captadas com grande maestria por pintores como Lange de Morretes, Schiefelbein, Nísio e Garfunkel, entre outros.

É com satisfação e orgulho que apresentamos nas dependências da Casa Andrade Muricy, obras representativas de muitos desses grandes artistas, que formam um painel de dimensão dificilmente igualada. Essa oportunidade única se deve à boa vontade e ao desprendimento dos colecionadores e dirigentes de instituições várias, aos quais a Secretaria de Estado da Cultura agradece efusivamente.




Artistas Participantes

 

Alfredo Andersen (1860-1935) Antonio Parreiras (1860-1937)
Arthur Nísio (1906-1974) Bruno Lechowski (1887-1941)
Czeslaw Lewandowski (1909-1995) Eugênio Sigaud (1889-1979)
Frederico Lange de Morretes (1892-1954) Guido Viaro (1897-1971)
Guilherme Matter (1904-1978) Guilherme Michaud (1829-1902)
Giuseppe Perissinoto (1881-1965) Gustavo Kopp (1891-1933)
Hermann Schiefelbein (1885-1933) Hugo Calgan
Ida Hannemann de Campos (1922) Jefferson Cesar (1932-1981)
João Batista Groff (1897-1970) João Genehr (1924-1979)
João Ghelfi (1890-1925) João Turin (1878-1949)
John Henry Elliott (1809-1884) José Daros (1898-1981)
Kurt Boiger (1909-1974) Libardi
Luiz Carlos de Andrade Lima (1933-1998) Maria Amélia D'Assumpção (1883-1955)
Miguel Bakun (1909-1963) Nilo Previdi (1913-1982)
Ovídio Freitas Oswald Lopes (1910-1964)
Paul Garfunkel (1900-1981) Paulo Ildefonso D'Assumpção (1869-1928)
Peter Potocky (1901-1987) Raimundo Jaskulski (1915-1998)
Ricardo Koch (1900-1996) Ricardo Krieger (1949-1991)
Sofia Dyminski (1948) Theodoro De Bona (1904-1990)
Waldemar Curt Freyesleben (1899-1970) Waldemar Roza (1916-1989)
Werner Jehring (1905-1992) Wilson de Andrade Silva (1925-2001)




Obras

Paul Garfunkel
Paranaguá / Rua da Praia,
1937, óleo/tela
Coleção Particular
Hermann Schifelbém
Derrubada com Casebre,
s/d, óleo/tela
Acervo MAP
Waldemar Curt Freyesleben
Paisagem Litorânea,
1921, óleo/tela
Coleção Particular 

Recomendar esta página via e-mail: